LIVRE COMO UM PÁSSARO

Qual seria o significado da liberdade pra você? Um estado de espírito, um direito natural, um limite? Pois para mim, significa muito mais do que isso. A nossa liberdade é preciosa, poder acordar e sair por aí, sem me preocupar, ou simplesmente pegar uma mochila e viajar pra qualquer lugar, eu jamais iria conseguir viver sem isso. Todos nós já nascemos livres, sem “amarras”, com direito de locomoção, é uma garantia fundamental da vida humana e na Constituição Federal temos essa garantia exposta:

CF/88Art. 5º : Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade(…).”

De acordo com o Artigo 5º  da CF/88, nos é garantia a inviolabilidade à liberdade, ou seja, a nossa liberdade nos é guardada, é algo que não pode ser retirado de nós. Eu, por exemplo, acho que não iria conseguir viver sem liberdade, em todos os sentidos, é quase como se uma parte importante do ser-humano fosse anulada, seria como “viver sem a minha alma”. Então eu reflito sobre as pessoas que nascem já sem a liberdade, como é cruel nascer já em uma cela, sem nem imaginar o quanto de coisas novas e boas a vida pode oferecer fora de um quarto, fora de uma casa, longe de pessoas que retiram terrivelmente um dos direitos mais importantes da essência humana e me pergunto como uma crueldade pode ser feita assim, deliberadamente.

No episódio de how to get away with murder, “Best Christmas Ever”, o caso abordado por Annalise foi de um casal manter sob cárcere privado duas jovens, tendo o marido contato sexual com as jovens, as abusando repetidas vezes, inclusive engravidando não somente uma vez e gerado uma criança, que nasceu com vida e permaneceu com um dos sequestradores durante um longo tempo. É horrível imaginar que isso possa acontecer,  que uma pessoa possa ser tão desumana assim, mas acontece. E bastante. Numa realidade em que estamos, em que todos se conhecem de forma rápida, marcam encontros rapidamente e com pouco contato, os sequestros se tornam mais fáceis e as presas facilmente capturadas. Por muitas vezes o fim é inevitável, a morte, mas e quando não é? Imaginem vocês como ficaria a mente de uma pessoa sequestrada e mantida sob prisão durante anos sendo molestada, agredida fisicamente, moralmente, abortando ou dando luz pra uma criança. É um crime tão sujo, tão desumano, que me embrulha o estômago e me faz sentir coisas ruins.

Como vimos, as garotas conseguem o resgate e Annalise resgata também a filha de uma das vítimas, que estava sob a guarda de um dos sequestradores. Ver a imagem daquela criança segurando uma girafa, sem nem ter ideia da monstruosidade que estava passando, mexeu com meu coração, pois acontece na vida real. Quantas crianças não estão presas em um porão, quantas mães estão sob cárcere privado, esperando incessantemente um resgate, que provavelmente nunca chegará? É uma realidade dura, é um rompimento na vida, na constituição, na sociedade. E infelizmente, nem sempre Annalise conseguirá resgatar os inocentes.

About the author

Carioca, pisciano, estudante de Direito, curioso e ávido por coisas novas, sempre questionador e louco por escrever.