Se você é daqueles telespectadores que, além de How To Get Away With Murder, também assistem outras séries que carregam a marca da Shondaland sabem que esses finais de temporada trazem uma enorme quantidade de drama, de emoção e resoluções rocombolescas para histórias que nunca deveriam ter saído do papel. It’s War é mais um desses episódios que servem unicamente, repito, unicamente para jogar ainda mais lenha na fogueira, se me permitem o trocadilho.

Sem resolver absolutamente nada em andar em círculos boa parte do episódio, não serei injusto ou leviano em afirmar que tudo o que foi apresentado aqui serviu para construir a tensão que os roteiristas precisam para entregar um Season Finale arrasador, com o intuito de vender a ideia que elaboraram uma temporada impecável. It’s War trouxe mais uma performance impecável de Viola Davis, o que é não é mais novidade, um futuro para a reitora Hargrove e que Charlie Weber consegue ser talentoso vestido.

Foi muito interessante a maneira na qual o roteiro tentou criar uma situação problema para desenvolver-se durante o episódio, me refiro a situação do cadáver desaparecido que ajudou a criar problemas à Procuradora do Distrito da Filadélfia. É verdade que rendeu boas cenas e abriu espaço aos atores mostrarem seus respectivos talentos, mas nada além disso porque foi uma história tão confusa e incoerente que desisti de entender quando uma personagem apareceu gritando entra uma cena e outra.

Depois dessa enrolação, espera-se que os roteiristas sejam competentes o suficiente para trazer um gancho espetacular ao final do episódio. Surpreendentemente, mostraram algo que já estava sendo anunciado desde quando o primeiro episódio de 2017 foi exibido. É provável que essa fórmulas fáceis e cansadas não estejam funcionando comigo, mas é inacreditável que às vésperas de uma Season Finale este que vos escreve esteja pedindo para que essa temporada acabe logo.

https://www.youtube.com/watch?v=nLxT6wO03Co

Comentários

comentários

Catarinense, 20 anos e estudante de Direito. Trabalho e me divirto com o entretenimento desde os 10 anos de idade, cobrindo notícias, premiações, estreias e fazendo entrevistas. Meus fortes estão na indústria da TV e do cinema, seja em parâmetro nacional ou internacional. Ficou curioso? Me pague um café que teremos muito assunto para conversar.